ACORDO EXTRAJUDICIAL – RESPEITO À VONTADE DAS PARTES

12/10/2019

 

A Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) homologou termo de transação extrajudicial assinado pelas partes para pôr fim ao contrato de trabalho. A medida é prevista na Reforma Trabalhista e, segundo o entendimento dos ministros do TST, não cabe questionar a vontade das partes envolvidas e o mérito dos termos acordados.

 

O relator do recurso, ministro Ives Gandra, observou que o artigo 855-B da CLT e seus parágrafos 1º e 2º, introduzidos pela Reforma Trabalhista, traçaram as balizas para a apresentação do acordo extrajudicial passível de homologação judicial, quais sejam: petição conjunta dos interessados e advogados distintos, com a possibilidade de assistência sindical para o empregado.

 

Dessa forma, no entendimento do ministro, a petição assinada conjuntamente pela empresa e pelo ex-empregado para o requerimento da homologação do acordo ao juiz demonstra a anuência mútua dos interessados em encerrar o contrato. Por isso, não cabe questionar a vontade das partes envolvidas ou o mérito do acordado se estiverem presentes os requisitos gerais do negócio jurídico e os requisitos específicos previstos na lei trabalhista.

A decisão foi unânime.

 

Processo: RR-1000015-96.2018.5.02.0435

 

Fonte: Tribunal Superior do Trabalho

 

Jonatan da Silva Rodrigues

TAVARES E PANIZZI SOCIEDADE DE ADVOGADOS - OAB/RS 1774

 

Please reload

Fones: (51) 3466-4177 - 3472-1856 - 3059-1444

Rua Victor Kessler, 194, Canoas/RS - CEP 92310-360 | tavarespanizzi@tavarespanizzi.com.br