FIM DO ESTADO DE CALAMIDADE PÚBLICA - E AGORA JOSÉ?

A MP 936/2020 (convertida na Lei 14.020/2020) permitiu que durante o estado de calamidade fossem reduzidos salários e jornada e suspensos contratos de trabalho, bem como instituiu o benefício emergencial (BEm) e o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e Renda. Assim, materializou efetiva ação na preservação de empregos (ao criar estabilidade de proporcional ao período do corte) e na sobrevivência de empresas, num momento histórico de crise econômica causada pela pandemia do coronavírus.


Na mesma esteira, a MP 927/2020 flexibilizou pontos sobre o teletrabalho, antecipação de férias, banco de horas, diferimento do recolhimento do FGTS, a qual, infelizmente, por não ter sido votada pelo Senado, perdeu eficácia em 19/07/2020.


Nesse momento, quando se aproxima o término do “ano da covid”, pairam no ar dúvidas: Haverá prorrogação do estado de calamidade pública (que cessará em 31/12/2020)? Serão adotadas novas medidas legais e econômicas visando o enfrentamento da emergência de saúde pública?


Invocando o poeta Carlos Drummond de Andrade: “E agora, José? A festa acabou, a luz apagou, o povo sumiu, a noite esfriou, e agora, José?


Necessário ter fé, renovar a esperança, acreditar que 2021 será um ano de trabalho, retomada do crescimento, de saúde das pessoas e da economia!


Shirley Dilecta Panizzi Fernandes – OAB/RS 33.279

TAVARES E PANIZZI SOCIEDADE DE ADVOGADOS – OAB/RS 1774

Fones: (51) 3466-4177 - 3472-1856 - 3059-1444

Rua Victor Kessler, 194, Canoas/RS - CEP 92310-360 | tavarespanizzi@tavarespanizzi.com.br