Informativos

NOVA LEI DO ICMS E A OMISSÃO DO RIO GRANDE DO SUL NA REDUÇÃO DAS CONTAS DE ENERGIA ELÉTRICA

01 de agosto de 2022

No mês de junho, foi sancionada a Lei Complementar 194/22, que promoveu importantes alterações na legislação sobre o cálculo do valor do ICMS nas contas de luz e combustíveis.

Dentre as alterações, no que se refere à energia elétrica, destacam-se:

a) o reconhecimento da essencialidade da energia elétrica;

b) a vedação à fixação de alíquotas do ICMS em patamar superior ao das operações em geral, sendo facultada a aplicação de alíquotas reduzidas;

c) a não incidência do ICMS sobre os serviços de transmissão e distribuição e encargos setoriais vinculados às operações com energia elétrica.

Embora tenha reduzido a alíquota de ICMS sobre combustíveis, energia elétrica e comunicações, a maioria dos Estados não incluiu em suas legislações disposições expressas quanto à tarifa de Uso do Sistema de Transmissão de Energia Elétrica (TUST) e à Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição (TUSD).

Levantamento do JOTA[1] mostra que, até agora, os únicos Estados que definiram, expressamente, a não incidência de ICMS sobre esses serviços e encargos foram Santa Catarina e Espírito Santo.

Contudo, considerando que a LC 194/22 tem efeito imediato, os Estados e o Distrito Federal não podem mais autuar os contribuintes pelo não recolhimento do ICMS sobre esses serviços e encargos.

A nova disposição trazida pela LC 194/22 é importante para garantir que não seja cobrado o ICMS sobre serviços e encargos vinculados às operações de energia elétrica.

Se você precisar de outras informações, entre em contato conosco.

Fonte: https://www.jota.info/tributos-e-empresas/tributario/estados-reduzem-aliquotas-mas-sao-omissos-sobre-exclusao-da-tust-e-tusd-do-icms-13072022

Fernando Henrique Quilici – OAB/RS 115.517

1 – JOTA.info é um veículo de imprensa independente. Foi fundado por jornalistas especializados no acompanhamento jurídico e institucional do Brasil. Em 2019, foi eleito a melhor startup de mídia digital do mundo.


 

Tavares e Panizzi Advogados